1
DE abr
DE 2015
0

Dançando sobre cacos de vidro – Ka Hancock

dançando sobre cacos de vidro

Creio eu que essa vai ser uma resenha longa. Primeiramente gostaria de dizer que essa vai ser uma resenha diferente. Para eu não ter o problema de privar minhas palavras ou comentários, e para evitar Spoiler, peço que quem não os aceite pare por aqui, pois dessa vez eu preciso expor meu ponto de vista por completo.

ABAIXO CONTÉM SPOILER!!!!!

Lucy e Mickey. Ela sofre com problema hereditário de câncer, ele sofre com transtorno bipolar. Muitas vezes quando citam transtorno bipolar as pessoas não sabem ao certo sua definição. Para muitos é basicamente uma oscilação de humor, mas a realidade vai muito além. O Transtorno bipolar é uma doença que afeta a saúde e o bem-estar de alguém, correndo o risco de morte. O Câncer já é bastante conhecido na literatura estrangeira.

Pois bem, Dançando sobre cacos de vidro nos trás duas pessoas iguais, mas ao mesmo tempo diferentes. Eles tem algo em comum, ambas as doenças vão os perseguir pelo resto da vida. Mas isso não os impediu de lutarem contra ela, lutar a favor da vida e do amor.

Desde o inicio eu temi pela doença dos dois. Desde o inicio minha garganta dava um nó somente por pensar que Mickey poderia estragar tudo com seu descontrole, ou que a doença de Lucy fosse os atrapalhar. Como eu estava enganada. Esses não eram mais o menor dos problemas, com essas situações o casal já havia aprendido a lidar.

Mas será que a morte, iria ser cruel ao ponto de os separar? Durante a história analisei cada situação com base nisso. Como disse, o acontecimento que eu tanto achei que iria acontecer, não aconteceu. O retorno do câncer da mulher não aconteceu de inicio, porém outro obstaculo apareceu na vida do casal, talvez bom, talvez ruim, depende do ponto de vista do leitor. Lucy fica grávida. Seria realmente certo trazer ao mundo um serzinho, para correr o risco de herdar o tão temido câncer , ou mesmo o tão pouco abordado transtorno bipolar? Talvez a criança herdasse as duas doenças juntas, ou quem sabe nenhuma. A duvida matava-os por dentro. Pra ser bastante sincera eu me questionei a todo tempo até finalmente aceitar que sim, eles deveriam correr o risco. A criança seria o fruto do amor dos dois. Foi quando uma nova situação aparece para destruir os sonhos do casal. O câncer de Lucy voltara. Agora já alastrado.

Gravida e com câncer, seria a vida cruel com Lucy? Talvez não, talvez tudo tenha acontecido por uma razão. Você pode estar se perguntando o porque de eu usar tanto o “talvez”, mas é justamente isso que esta sustentando a vida de ambos. Aquele grande TALVEZ, no momento o futuro era incerto. O câncer de Lucy já não era mais novidade, pela segunda vez já não tinham mais esperança. O aborto seria apenas uma prolongação do tempo de vida da mulher, nunca saberíamos dizer o quanto, 1 semana, 1 mes, talvez anos. Por outro lado ela poderia ter sua menininha e quem sabe a chance de Continuar a quimioterapia após o nascimento. Mas a morte era inevitável. Todos sabiam disso, principalmente Mickey, porém ninguém queria acredita. Alias, quem mesmo quer aceitar que a morte esta rondando aqueles que amamos?!

A história é angustiante e cheia de duvidas, à todo momento eu me perguntei se ela deveria abortar e lutar para viver, ou dar a vida a sua menininha e aceitar a morte como um acalento. E sim, minha opinião foi a segunda. Não por querer a morte da personagem, mas qual o motivo para adiar o inevitável?

Essa foi uma leitura regada de lágrimas, angustia, sorrisos e esperança. Com ele eu aprendi que nada na vida é por acaso. Que as escolhas que fazemos e o modo como vemos cada situação, é que define o rumo para qual vamos seguir. Esse é um livro que eu não me arrependo nem um milésimo. Indico para todos, independente da sua preferência de gêneros. Essa é uma história que todos deveriam conhecer, pois todo relacionamento vai, eventualmente, dançar sobre cacos de vidro.

6
DE set
DE 2014
0

#01 E se eu ficar – Gayle Forman

Screenshot_2014-09-04-12-40-50-1

Mia é uma garota apaixonada por música e pelo seu namorado Adam. Em uma manhã qualquer sua vida vai mudar radicalmente, ela tem que decidir entre ficar ou ir embora, qualquer que seja sua escolha, irá influenciar no futuro de todos a sua volta. Eis que ela começa a se questionar: “E se eu ficar?”

A um tempo atrás eu postei aqui no blog o trailer já divulgado do filme que havia me encantado imensamente. Durante essas duas semanas que eu fiquei sem postar, eu peguei-o para ler.

Se eu ficar. Se eu viver. Só depende de min.

Eu acabei criando uma certa relação de amor e ódio com Se eu ficar. O livro é pequeno, a leitura foi leve e rápida, mas tem um porém, algumas coisas para mim ficou muito vago. Os sentimentos da personagem, expressados durante a história, não foram muito claros. Claro que a menina estava arrasada com a morte da família, mas ela estava lidando com o assunto tão calmamente que eu estranhei um pouco. A história em si é linda, eu fiquei com o coração na mão durante toda a leitura. É angustiante não conseguir nem mesmo deduzir o que vai acontecer. Falando no modo mais informal possivel, estou mega “bolada” com esse final hahahhahah, gente ! Eu fiquei: Como assim? O fato do livro terminar de uma maneira muito vaga foi o que mais me deixou em extase. A expectativa para o filme está a mil. Algo me diz que essa vai ser uma adaptação incrível.

As vezes você faz escolhas na vida e as vezes as escolhas fazem você.

Pois eu tenho algo para contar aos que já leram Se eu ficar. A sequência que vai acabar com nossa angústia, já foi lançada. O nome (traduzido) é “Para onde ela foi”. E é claro que euzinha vou correr para ler ;)

O que posso dizer?  O amor é uma merda !

4 estrelas

18
DE jun
DE 2014
0

E se eu ficar – Trailer

Omg ! Estou eu, olhando algumas postagem de grupos de leitores e me deparo com esse trailer que na mesma hora descubro ser de um livro ja publicado. Minha reação na hora?? EU PRECISO LER ESSE LIVRO !

hahahaha, ele está no topo da minha lista de livros para ler. Vai ser uma resenha que vou ter o enorme prazer de escrever ;)

Beeeijos

25
DE mai
DE 2014
0

A Culpa é das Estrelas – John Green

Aaaah, efeitos colaterais aqui estou eu para faze-los chorar mais um pouquinho hahaha.  Como muitos ja sabem a  adaptação cinematografica ‘A culpa é das Estrelas’ é umas das maiores apostas do ano. A historia da Hazel e Gus se popularizou bastante entre os jovens de 2013 pra cá, muitos já consideram modinha, não digo que não concordo com isso pois estarei mentindo, realmente muitas pessoas leram o livro e fingiram gostar apenas pra fazer parte de todos aqueles debates das pessoas a sua volta que haviam lido. Isso costuma me deixar muito chateada pois muitos se dizem fãs sem nem saber direito quem é quem na historia, principalmente se for um livro que eu tenha gostado muito.
Quando começou aquela epidemia de photos no insta daquela capa azul com um titulo um pouco intrigante, rs eu realmente fiquei interessada em descubrir o conteúdo. Havia tantos comentarios bons a respeito que eu resolvi me aventurar.

image

Eu lembro exatamente como se fosse ontem,eu abri o livro em uma Quinta-Feira por volta de umas 22:00 hrs da noite. A história me cativou de tal forma que eu me recusei a dormir enquanto não terminasse. Passou 1, 3, 5 horas da manhã quando eu me vi soluçando de tanto chorar. Eu pude sentir a dor da Hazel, eu senti a saudade me sufocando ao ler a carta do Gus, eu suspirei até o ultimo ‘ Okay ‘. O elogio fúnebre, como esquecer?! :’( Mas enfim, minha dúvida é a seguinte: Será que realmente o filme vai fazer juz ao livro? Agora basta esperar ! Dia 05 de Junho vem ai !
#Ansiosa

Beeeeijões ♡